Eu estou amadurecendo, do meu jeito lerdo mas tô.

reblog / like / 18,892 notes
Quem é esse tal de você que todo mundo diz que ama?
reblog / 60 notes
reblog / 20,392 notes
reblog / 2,365 notes
Moça deixa teu coração falar, sossega tua alma
Beatriz Cavalcanti.   (via protegiar)
reblog / 1,527 notes
reblog / 147,592 notes

Reclamo que nunca saio mas quando me chamam pra sair uso as desculpas mais idiotas possíveis pra ficar em casa tipo ”n posso sair, perdi minhas pernas”.

reblog / like / 461 notes
reblog / 22,519 notes
Saudade. E saudade, eu descobri, não tem nada de romântico, como os poetas costumam descrever. Saudade é ruim, dói, sufoca, faz com que nada tenha graça e que a gente fique pensando na pessoa que provocou o tempo todo.
Fazendo Meu Filme 2 (via poetand-o)
reblog / 8 notes
reblog / 1,408 notes
reblog / 14,875 notes
Desde que eu descobri que te amava, ninguém mais foi páreo pra você. Todo o resto foi mero projeto de amor, tentativas falhas e mal-sucedidas de romance.
Fani (Fazendo Meu Filme 4 - Paula Pimenta)
reblog / 177 notes
reblog / 182 notes
Hoje tava pensando nessa grande confusão de sentimentos que é a vida, lembrei da primeira vez que ela me pregou uma peça, o nome dele era Renato era meu amigo do cursinho e morava três ruas acima da minha casa. Eu sempre fui muito moleque, na época eu tinha dezesseis anos e falava palavrão ao quatro ventos, meiga feito um cavalo, pra mim ele só me via como um amigo é to usando no masculino mesmo “amigo”, porque era bem assim que os outros meninos me viam, fazíamos apostas, andávamos em bando, minha vó dizia pra minha mãe que se ela não tivesse me tido não saberia o preços dos pecados dela. Enquanto as meninas da sala eram preocupadas com cabelo e maquiagem eu ficava de guarda enquanto os meninos murchavam os pneus dos carros daqueles professores pé no saco do colégio. E ai eu me pergunto, o que o Renato viu em mim? Só sei que em uma manhã de sábado eu acordei com uma sms dele dizendo que me amava, tipo não como uma parceira de confusão, mas como menina. Meu coração disparou e não sabia o que dizer pra ele, era tudo novo demais pra mim. Mas juro eu queria gostar dele do mesmo jeito, porque foi horrível ver ele se chatear comigo daquele jeito sabe, se afastar, ele já não me chamava pra correr na rua e tocar a campainha do vizinhos. Doeu em mim, mas eu sei que talvez tenha doido muito mais nele, ele deixou de lado uma pessoa que era amiga e agora seu novo amor. Agora vem a grande lição pra mim, hoje eu posso sofrer o mesmo, confundir as coisas, não porque eu quero, mas porque o coração não escolhe de quem gostar, ele não usa conveniência ele vem pra bagunçar mesmo. E o Renato? Ah, encontrei ele outro dia ta feliz inclusive namorando uma guria mais velha. Se tivéssemos ficado juntos quem sabe ele não estaria tão bem como agora. A vida é assim mesmo, o lance é que nem sempre estamos preparados para a próxima jogada.
Grazy Paiva - Década de 90.  (via surtifiquei)
reblog / 283 notes
Porque eu vivo um coletivo de quases.
Solte-me! (via surtifiquei)
reblog / 1,140 notes
Made by Chefiada